quinta-feira, 11 de maio de 2017

Medievalia


Medievalia é o novo jogo do game designer Fel Barros, o terceiro título da linha de jogos pequenos da editora Ace Studios. Devo confessar que quando o protótipo chegou por aqui demorou um pouco para ver mesa porque não animou na leitura do manual. Eu não sou uma grande fã de Sapotagem e Encantados, os dois primeiros jogos da coleção. Eu achava que era por causa da pegada jogo de vaza, que isso não era para mim. Então, qual não foi a minha surpresa quando finalmente joguei e simplesmente não conseguia parar rodada atrás de rodada.


Em Medievalia, os jogadores devem jogar cartas cujo valor individual ou sua soma supere o jogado antes pelo oponente. Porém, apenas cartas iguais podem ser jogadas juntas, aí é que está o desafio do jogo. Se o jogador não tiver como superar o valor exigida na sua vez, ele pega todas as cartas da mesa, formando uma pilha que contará como um ponto negativo por carta presente nela. A rodada termina quando um jogador baixar sua última carta. Os jogadores começam a partida com seis cartas na mão e sempre devem repor para manter esse número.


Além das cartas numeradas de 1 a 13, o jogo também conta com três cartas especiais. O curinga pode ser jogado possuindo um valor entre 1 e 13 à escolha do jogador, é uma boa forma de conseguir números mais altos. Não há limite para a quantidade de cartas desse tipo que podem ser jogadas. A carta de pular a vez funciona tipo aquela brincadeira da batata quente, é bom segurar para usar na hora em que a mesa está bem cheia e os números altos. A última carta é a que permite além de pular inverter o sentido da mesa. Também é uma carta para guarda para os números altos, mas com o adicional que é maravilhosa quando o jogador anterior sobe muito o valor para te derrubar.




Se fosse só isso, Medievalia já seria um ótimo jogo, mas ainda tem mais. Ele vem com dois outros tipos de cartas que acrescentam variações de regras e pontuação. A cada rodada, essas cartas vão sendo substituídas, o que aumenta ainda mais a sua rejogabilidade. São 10 cartas de cada tipo, então calcula aí o número de variações possíveis entre elas. Elas são naquele formato mini e para serem devidamente organizadas, o jogo conta com um mini tabuleiro. Mas desta vez, diferente do Encantados, ele acomoda perfeitamente as cartas.


O material do jogo está bem caprichado, tanto em aparência quanto em qualidade. Apesar da versão jogada ser protótipo, ela é praticamente final, dando para ter uma boa noção do que esperar. A qualidade das cartas está bem boa e parece que cabe na caixa com sleeve de boas. Digo que parece porque não testei, minha observação é baseada no espaço sobrando na caixa. Eu gostei das cores e da arte também, além da diagramação bem limpa. Minha única crítica vai para carta Cuthulhu que ficou muito escura. O manual também é bem tranquilo de entender, pois além do jogo ser simples, ele está bem completo e organizado. Ele tem imagens, exemplos e clarificações sobre as chamadas cartas de torre, que são as mini cartas que trazem modificações diferentes a cada turno. Por último, mas não menos importante, revisão profissional de Bianca Melyna.


Medievalia está em pré-venda na Game of Boards por R$59,9 com previsão de entrega para agora em maio. Pelo que foi postado pela Ace Studios nas redes sociais, o jogo já está com eles para começar a distribuição nas lojas. Então, garanta o seu exemplar, porque vai ser sucesso com os amigos. É o jogo para manter sempre na mochila para qualquer ocasião.


Saiba mais sobre o jogo assistindo também ao vídeo que gravamos sobre ele:


Império vs Rebelião


Fazia tempo que eu queria escrever sobre Império vs Rebelião por aqui, porque acho que ele não recebe a atenção merecida por grande parte dos jogadores. É bastante comum encontrá-lo encalhado nas lojas e isso me dá uma certa tristeza. Eu considero que ele é um dos jogos para dois jogadores com o melhor custo-benefício disponível no mercado nacional. Além disso, se formos analisar em termos de temática, seu destaque é ainda maior, já que as demais opções que temos baseadas na famosa franquia de George Lucas possuem um valor bastante elevado, por se tratarem de colecionáveis altamente competitivos: X-Wing e Destiny.



Um ponto que acredito que prejudicou muito a recepção do jogo foi o fato dele ter sido lançado logo após o fraquíssimo Intrigas em Westeros, uma reimplementação bem caça-níquel de Penguin, um jogo infantil do Reiner Knizia. Ambos os jogos possuem o mesmo formato de caixa, são baseados em franquias extremamente populares e utilizam fotos de cenas das produções em vez de arte desenhada. Para completar, Império vs Rebelião também é uma reimplementação, mas que consegue ser muito mais bem-sucedida, pois Cold War: CIA vs KGB tem a mesma pegada de conflito estratégico entre facções.

Império vs Rebelião é um jogo de cartas bem simples e rápido, nele os jogadores disputam pontos em eventos, sendo o vencedor aquele que conseguir somar sete ou mais pontos. Os eventos determinam uma quantidade máxima de cartas que podem ser baixadas pelos jogadores e o somatório máximo a que elas podem atingir. A maioria deles também adiciona algum tipo de condição especial. O vencedor do evento vai ser o jogador que conseguir o chegar ao valor mais próximo do estipulado. A recompensa pela vitória, além dos pontos em si, costuma ser marcadores de influência.


Na sua vez, o jogador vai escolher uma das quatro ações possíveis: jogar uma carta, usar uma ação de carta, usar uma influência ou passar. Quando ambos os jogadores passam seguidamente é verificado então o resultado do evento. O interessante nesse jogo é que os jogadores não possuem uma mão de cartas, eles jogam diretamente do deck. Isso traz um fator sorte muito grande, que em um primeiro momento pode parecer ruim, mas é muito bem administrado pelas ações de cartas.

Para o limite de cartas do evento só são contadas aquelas que estiverem na vertical. Ao ter a sua ação utilizada, a carta é virada na horizontal. Porém, ela continua contribuindo para o somatório. Entretanto, tal número costuma ser menor, sendo mais uma forma de controlar o valor colocado pelos jogadores na disputa. Por último, o jogo ainda oferece a possibilidade de retornar uma carta para a posição vertical gastando uma influência. Isso permite que em um próximo turno a ação possa ser utilizada novamente ou o jogador pode escolher essa opção apenas para alterar a contribuição numérica da carta.


Quando chega o momento de determinar quem venceu o evento, os jogadores revelam suas cartas de estratégia. Elas são escolhidas secretamente pelos jogadores jogador logo após a revelação do evento. As cartas de estratégia podem alterar radicalmente o resultado da disputa. Elas são iguais para ambos os jogadores, então é mais um ponto para ficar atento em relação as atitudes do oponente, pois elas podem dar uma pista de qual estratégia foi escolhida. Além disso, as estratégias não podem ser repetidas, então ao passar dos turnos as opções vão ficando reduzidas. Apenas que quando todas elas já foram utilizadas é que vão voltar a ficar disponíveis.


Império vs Rebelião é um jogo que apesar de simples possui diversos detalhes nas regras que lhe fornecem um bom fator estratégico sem torná-lo excessivamente denso, ao menos tempo que consegue passar o clima certo do universo Star Wars. Ele é bastante acessível para novos jogadores, não apenas por sua facilidade de aprendizagem, mas também pelo seu valor de R$49,9. Jogos realmente baratos e bons não são fáceis de encontrar, então considero que temos uma boa opção tanto para jogadores antigos quantos para os mais novos.

Confira mais sobre o jogo assistindo ao nosso vídeo: